fotografia

Vamos Cantar as Janeiras!

janeiras0002

Em Mira de Aire, as Janeiras são um dos eventos do ano. A seguir ao acender da Fogueira e à Mata d’Aire (evento que ocorre de 2 em 2 anos), este é daqueles momentos que um verdadeiro Mirense se deve orgulhar.

Não são umas Janeiras quaisquer e, pelo que sei, não se fazem muitas do género pelo país. Começam às 19h de Sábado e acabam sempre pelas.. 3h30 da manhã de Domingo. Todo este tempo é feito por pontos previamente escolhidos (e já tradicionais) da vila, e de uma outra próxima, sempre a pé, com cachecol, gorros, luvas, ginja, abafadinho, pão com chouriço e – acima de tudo – a boa vontade das pessoas: as que cantam e as que nos acolhem.

Este ano, os bravos Quarentões de 73 decidiram arriscar no pior fim de semana previsto para Janeiro: muito vento, bastante chuva (que só parou a sério pela meia-noite) e, claro, sem luz (porque Mira de Aire não brinca quando há falhas de luz)! Com uma noite já de si bastante escura, em que as nuvens tapavam a lua tímida que queria espreitar, apenas as lanternas e as luzes da carrinha da banda nos permitiam ver o que se passava à nossa volta. E foi muito bom. Não foi uma enchente de gente como é normal, foram umas Janeiras algo atípicas, mas é sempre uma tradição que importa manter e por isso dou os meus parabéns aos resistentes que caminharam e aos bravos da organização!

Aqui ficam algumas das fotos da noite mais escura de Janeiro, mas também a mais emotiva. Viva Mira de Aire! E vamos cantar as Janeiras!

janeiras0008 janeiras0013 janeiras0019 janeiras0024 janeiras0025 janeiras0030 janeiras0046 janeiras0050 janeiras0061 janeiras0062 janeiras0072 janeiras0076 janeiras0088 janeiras0089 janeiras0092 janeiras0094

Introducing…

Aqui está parte da sessão do Rafael e dos seus papás babados. Não sei se já vos disse mas este bebé, cujo nome adoro – ou não fosse o nome do meu Pai – é um fofo. Tão pequenino e já parece demonstrar tanto carácter.

Adorei perdidamente estes pequenos momentos e o cheirinho a bebé é tão bom 🙂

Sleep tight…

O Principezinho


Em Fevereiro fotografei um casal lindíssimo, que já conheço há uns anos, e que está à espera do primeiro filho. Provavelmente, enquanto escrevo este post ou vocês o lêem, o “principezinho” poderá já ter nascido.

Foi a minha primeira sessão com futuros papás e gostei imenso porque é muito diferente de qualquer outra fotografia que façamos. O objectivo era fugir às típicas sessões de maternidade, embora um ou outro momento seja obrigatório, e penso que isso foi conseguido, também porque eles são uns óptimos modelos.

Here’s to new beginnings!

Tudo Começa Num Momento

Desde que me lembro que vejo câmaras fotográficas e de vídeo a andar por casa. O meu Pai era um entusiasta de novos equipamentos e sempre tivemos fotografias de família bastante aceitáveis.

Fazíamos também vídeos de Natal e outros eventos, por isso a minha inclinação para o Cinema/Fotografia foi-se “agravando” ao ponto de optar pelo curso de Cinema no conservatório na hora das escolhas para a Universidade.

Cinema e Fotografia andam, naturalmente, de mãos dadas, ou não fossem os dois baseados na mesma premissa. Ao longo do curso, e apesar de ter seguido um ramo que não o da fotografia, fui desenvolvendo o gosto pela fotografia muito por culpa de colegas de curso e da descoberta de uma máquina russa na gaveta do escritório do meu pai.

A partir daí, sempre de Cosina (ou Lomo) na mão, fui pondo em prática experiências fotográficas com a família, particularmente com a pequenota (linda) da família, e também com “coisas” por aí.

Isto foi o meu começo. O resto, mais de mim e do meu trabalho, virá noutras histórias.