Lugares

Vamos Cantar as Janeiras!

janeiras0002

Em Mira de Aire, as Janeiras são um dos eventos do ano. A seguir ao acender da Fogueira e à Mata d’Aire (evento que ocorre de 2 em 2 anos), este é daqueles momentos que um verdadeiro Mirense se deve orgulhar.

Não são umas Janeiras quaisquer e, pelo que sei, não se fazem muitas do género pelo país. Começam às 19h de Sábado e acabam sempre pelas.. 3h30 da manhã de Domingo. Todo este tempo é feito por pontos previamente escolhidos (e já tradicionais) da vila, e de uma outra próxima, sempre a pé, com cachecol, gorros, luvas, ginja, abafadinho, pão com chouriço e – acima de tudo – a boa vontade das pessoas: as que cantam e as que nos acolhem.

Este ano, os bravos Quarentões de 73 decidiram arriscar no pior fim de semana previsto para Janeiro: muito vento, bastante chuva (que só parou a sério pela meia-noite) e, claro, sem luz (porque Mira de Aire não brinca quando há falhas de luz)! Com uma noite já de si bastante escura, em que as nuvens tapavam a lua tímida que queria espreitar, apenas as lanternas e as luzes da carrinha da banda nos permitiam ver o que se passava à nossa volta. E foi muito bom. Não foi uma enchente de gente como é normal, foram umas Janeiras algo atípicas, mas é sempre uma tradição que importa manter e por isso dou os meus parabéns aos resistentes que caminharam e aos bravos da organização!

Aqui ficam algumas das fotos da noite mais escura de Janeiro, mas também a mais emotiva. Viva Mira de Aire! E vamos cantar as Janeiras!

janeiras0008 janeiras0013 janeiras0019 janeiras0024 janeiras0025 janeiras0030 janeiras0046 janeiras0050 janeiras0061 janeiras0062 janeiras0072 janeiras0076 janeiras0088 janeiras0089 janeiras0092 janeiras0094

New York, New York

Quem me segue, quem me conhece, sabe a loucura que tenho por esta cidade. Desde pequena, não sei porquê, Nova Iorque é o meu sonho.

Aos 22 anos fui até lá com a ajuda da família e de 1 mês e tal a trabalhar no Verão. 6 anos depois voltei e quem me dera ter ficado lá mais tempo (a vida inteira?). A cidade continua minha, perdão, linda, e agora espero que não passem 6 anos até lá voltar novamente.

Até lá fico com este vídeo de viagem que fiz e partilho convosco a minha cidade, a minha Nova Iorque.

Cooking and Nature | Emotional Hotel

Eu tenho um orgulho tremendo na zona onde nasci. Infelizmente a minha terrinha, Mira de Aire, precisa de um abanão gigante a todos os níveis, mas à nossa volta há cada vez mais actividades e empreendorismos dignos de nota. Projectos arrojados que rompem com o “suposto” conservadorismo de terras pequenas. Mas com paisagens como as nossas serras, é impossível não ficar indiferente e tentar fazer coisas… diferentes.

Deixo as paisagens da minha terra para um outro post e aqui ficam as imagens do Cooking and Nature | Emotional Hotel. Um Hotel novíssimo, com um design fabuloso e um sítio onde todos os nossos problemas são para ficar fora dali. Nada melhor do que a descrição dos responsáveis para perceber o que eles pretendem (e eu digo que concretizam):

“Uma serra como pano de fundo, a abraçar um vale encantado onde se esconde um hotel muito especial. Um sítio onde as emoções fluem dentro e fora de portas. Onde as cores e as texturas se misturam, onde os sons dos pássaros e do vento percorrem lentamente a nossa pele e nos convidam a relaxar!”

E aqui ficam algumas fotos, possíveis após acederem a um pedido especial. Infelizmente foi-me impossível fotografar todo o hotel por estar com 10 dos 12 quartos ocupados, mas – quem sabe? – se não ficará para uma próxima oportunidade, com mais tempo. 🙂

Para além do facebook já acima mencionado, poderão visitar aqui o site, que é muito bonitinho.

6 anos. 1 fim de semana. Parte II

E aqui fica a parte II dos nossos 6 anos de namoro. Este, dia 5 de Agosto, é que é o dia real do nosso aniversário… simplesmente porque eu não gosto de dias pares. E foi assim que ficou.

No Domingo fomos ao Sea Me – Peixaria Moderna. Depois de alguma indecisão sobre qual o restaurante, decidimos ir para um onde nunca tínhamos ido e que nos parecia muito bem.

Pedimos 4 pratos/aperitivos, destaco o Camarão do Oceano Índico ao alho, o prego no bolo do caco – que vinha acompanhado de umas excelentes batatas – e para finalizar a Trilogia Tuga (acho), que é composta por sorvete de framboesa, tangerina e maçã verde. Tudo isto é delicioso e a conta não foi nada por aí além, tendo em conta todos os componentes.

E… venham as fotos, que é o que interessa. Mas para finalizar só vos digo que aconselho vivamente, uma vez que o atendimento é muito bom, a comida é óptima e parece que quando a noite cai é que aquilo fica verdadeiramente interessante, com DJ à mistura.

Ah! E, como prenda, dei ao Kiko o albúm de um dos rapazes do momento – Miguel Araújo. A culpa de me ter decidido por este albúm não foi d’Os Maridos das Outras, mas sim do Fizz de Limão (oiçam, é muito boa).